São José, Patriarca Venerável

Compartilhe:

Não é sem razão que a Igreja faz uma pausa no meio da Quaresma, colocando o branco no lugar do roxo, na liturgia do dia 19 de março, para celebrar a solenidade de São José, esposo da Virgem Maria, e a quem Deus escolheu como pai adotivo de seu filho sagrado e humanizado. No Patriarca de Nazaré percebemos claramente a ação de divina concretizada (Lc 1, 52).

Na Sagrada Família, São José é o menor, embora lhe tenha sido dada do Alto a chefia dessa Casa Santa, que o próprio Deus sonhou em seu plano perfeito de salvação, e o cuidado de seus maiores tesouros: o Filho, o Verbo Eterno, o Messias tão esperado, e a Santíssima Virgem Maria, sua filha predileta.

Sabemos da vida de São José apenas pelas referências rápidas apresentadas nos evangelhos, mas suficientes para destacar o papel primordial exercido por ele na história da salvação, que liga o Antigo e o Novo Testamento, aparecendo, então, como o último dos patriarcas. O Evangelho de São Mateus destaca este caráter especial atribuindo-lhe “sonhos” a exemplo de outros grandes patriarcas, fundadores do povo judeu. A fuga para o Egito cumpre, de certa forma, um novo Êxodo, e a missão de dar um nome a Jesus para fazê-lo descendente da linhagem de Davi, como era necessário para que se cumprissem as promessas.

Inspirado nisso, o Papa Francisco convidou os católicos para refletirem um pouco mais sobre São José, neste ano de 2021, por meio da Carta Apostólica “Patris Corde – Com o coração de Pai”, em que destaca as características de humildade e acolhimento deste grande santo, declarado pelo Papa Pio IX como “Patrono Universal da Igreja”, há exatos 150 anos. É para comemorar esta data que Francisco instituiu o “Ano de São José”.

No Ceará, São José é padroeiro do estado e invocado como esperança de bom inverno, além de padroeiro dos carpinteiros. Em Crato é o patrono do velho casarão que acolhe os futuros sacerdotes da Diocese e para onde acorrem centenas de devotos, todos os anos, clamando a sua intercessão, entoando o hino composto pelo primeiro bispo diocesano, Dom Quintino Rodrigues: “Vimos aqui, Patriarca venerável, para render hinos de louvor”. Em virtude da atual situação de pandemia, os fiéis estão impossibilitados de participar, presencialmente, dos festejos alusivos. Para mantê-los em casa, mas em comunhão de fé, o Seminário fará transmissão ao vivo dos momentos celebrativos, que podem ser complementados com novena, terços, ofícios, conforme a devoção de cada um.

Por intercessão de São José, que deixou para trás todos os seus planos e sonhos para e realizar os planos e sonhos de Deus, possamos colocar em prática – com nossa própria vida – os desígnios do Senhor, sobretudo no santo serviço aos irmãos, no silêncio e no amor, como fizera o ‘Ilustre Filho de Davi’.

 

Por: Maykel Galvão, seminarista e estagiário na Assessoria de Comunicação

Posts Relacionados

Facebook

Instagram

Últimos Posts