Romaria e Festa a Beata Benigna Cardoso: Fiéis celebram a Mártir da Pureza

Compartilhe:

Há um ano, a Diocese de Crato e toda a Igreja do Ceará testemunharam um momento histórico de profunda devoção e fé. Foi o instante em que a primeira beata, a Mártir Benigna Cardoso, de Santana do Cariri, foi elevada aos altares em uma cerimônia solene que ressoou no coração de todos os fiéis. Decorrido esse tempo, os devotos recordam, com emoção, os 82 anos do martírio da Heroína da Castidade.

No último dia 24 de outubro, a cidade de Santana do Cariri se vestiu com significados profundos e cores vibrantes. As casas da cidade se adornaram de vermelho, pontuadas por bolinhas brancas, estampas que evocam o vestido usado pela jovem Benigna. As imagens da santanense mártir foram afixadas nas janelas, portas e em cada canto onde a fé pudesse encontrar morada.

A história de Benigna Cardoso, essa jovem que entregou sua vida em nome da pureza e da devoção, ecoa como um cântico de amor e coragem nas colinas do Ceará. Nas ruas, nos rostos emocionados e nos corações dos fiéis que participam da 20ª romaria e da 1ª festa em honra à “Mártir da Pureza”, sua presença se faz sentir.

De Inhumas, o local sagrado do martírio, uma multidão fervorosa e emocionada partiu em procissão, carregando com veneração a imagem da Mártir Benigna. Eles caminharam em direção à igreja matriz, onde a Santa Missa foi celebrada, presidida por Dom Magnus Henrique, bispo de Crato, e concelebrada pelo clero diocesano.

Na homilia, Dom Magnus Henrique destacou a figura da “santinha” de Santana do Cariri, ecoando como um convite à reflexão, quando ele afirmou:

“Benigna deixou sua quartinha – o seu pote – e foi ao encontro Daquele que é a verdadeira fonte, banhando suas vestes no sangue do Cordeiro. A vida ceifada de Benigna faz eclodir a força do Evangelho. Prova disso é o fato de estarmos hoje celebrando o Mistério Pascal do Ressuscitado, que se manifesta na vida desta jovem. Queridos irmãos e irmãs, na época em que Benigna banhou suas vestes, seu vestido vermelho de bolinhas, ‘Heroína da Castidade’, que sua santa alma converta a freguesia e sirva de proteção às crianças e às famílias da Paróquia. São os votos que faço à nossa santinha.” Hoje, recordamos o luto e a tristeza de 82 anos atrás, quando seu corpo era semeado e regado com lágrimas que clamavam a Deus pelo sangue do Cordeiro, cantando jubilosos, hoje, “Benigna, ó mártir da pureza, tua fonte de água pura foi o amor de Jesus Cristo”.

Conheça a história da Beata Benigna Cardoso 

Benigna nasceu aos 15 dias de outubro de 1928, no Sítio Oiti, em Santana do Cariri, no interior cearense. Apesar dos poucos anos vividos, a vida da jovem inspirou uma grande obediência aos ensinamentos da fé cristã, passando a ser venerada como mártir na região do Cariri, pois preferiu entregar sua vida a violar sua honra. Na fatídica tarde de 24 de outubro de 1941, há exatos 81 anos, Benigna fora cortejada pelo jovem Raul Alves no local onde ela costumava buscar água com frequência. O rapaz queria forçá-la a ter relações sexuais com ele, ao que Benigna negou. Essa atitude o enfureceu, motivando-o a atacar a jovem a golpes de facão até que um, fatal, ceifou a vida da menina, com apenas 13 anos, lutando bravamente até à morte para defender a pureza do seu corpo.

Galeria de Fotos aqui.

Por Jornalista Mychelle Santos / ASCOM Diocese de Crato

Posts Relacionados

Facebook

Instagram

Últimos Posts