Pastoral da Aids celebra o 1º de Dezembro – Dia Mundial de Luta Contra a Aids

Compartilhe:

Todos os anos, desde sua criação, a Pastoral da Aids-CNBB desenvolve a Campanha de 1º de Dezembro, Dia Mundial de luta contra a Aids.  O Dia Mundial de Luta Contra a Aids apresenta-se como momento oportuno para o estabelecimento de redes e parcerias entre organizações de luta contra a aids e os serviços de saúde.

A Pastoral também se engaja nestes movimentos para defender os direitos das pessoas que vivem com HIV e promover a difusão de informações de prevenção. Além disso, a data serve para reforçar a solidariedade e a compaixão com as pessoas infectadas pelo HIV/Aids. Este ano, fomos surpreendidos pela pandemia do COVID 19, precisando adaptar ações e práticas às exigências do tempo presente. Este foi o desafio dos (as) coordenadores (as) regionais e suas equipes locais.

É tempo de pandemia, tempo de cuidado redobrado consigo mesmo e com os outros. Tempo de distanciamento social, de não aglomeração de pessoas, de uso de máscara e álcool em gel. Em função disso, procuramos organizar uma campanha que respeite este cuidado que devemos manter por causa da pandemia, sem esquecer que o HIV continua existindo e ainda é necessário reforçar o direito que as pessoas têm de ter acesso ao diagnóstico oportuno, tratamento e medicação em caso de resultado positivo, além de acesso facilitado aos insumos de prevenção, nas suas variadas possibilidades.

A arte que sustenta essa campanha quer passar a ideia de que os agentes da Pastoral da Aids assumem a missão de acolher, cuidar e proteger a vida, tanto do HIV, quanto do covid-19, enquanto não se encontram soluções mais definitivas para as mesmas.

A campanha se alicerça também em dois movimentos que vem acontecendo na Igreja. Um de ordem universal e um de abrangência nacional. O primeiro é o chamado que o Papa Francisco faz para uma Igreja em saída, para ir às periferias existenciais e para uma ação solidária no cuidado com os mais vulneráveis. Recentemente, o Pontífice fez o convite a uma nova economia, ao cuidado da casa comum e dos pobres. Esta síntese representa o desejo da Igreja de colaborar com um mundo onde todos tenham a vida garantida. Em nível nacional, a Igreja no Brasil realiza a 6ª Semana Social Brasileira, que convoca todos os cristãos e pessoas de boa vontade a um grande mutirão em defesa da vida.

Convida-nos ao envolvimento desde nossas bases comunitárias, somando esforços num grande processo de diálogo, formação, articulação e proposição de ações afirmativas para um projeto de sociedade mais humana e humanizada. Acreditamos que esta campanha do Dia Mundial de luta contra a aids se inscreve nesta perspectiva e torna concreto o objetivo da Semana Social. “É Tempo de Cuidar…”, este é o mote da campanha. Trata-se de perceber a importância da fé que se manifesta em gestos concretos de cuidado, assim como fez Jesus e como pediu que agissem seus seguidores.

A Pastoral da Aids, em sintonia com o chamamento do Papa Francisco e da CNBB, integra e reforça o cuidado com a vida (bem maior), com os Direitos Humanos, com as políticas públicas, com a saúde, terra, teto e trabalho. “É tempo de cuidar” significa que é tempo de acolher, de estar próximo, de acompanhar especialmente aquelas pessoas que se encontram em situação de vulnerabilidade e risco. É tempo de alcançar um pouco de alimento, de orientar para que as pessoas tenham acesso aos benefícios garantidos na legislação e de pressionar as autoridades constituídas para que torne fato, aquilo que está estabelecido de direito.

Que através desta Campanha nos sintamos alegres, unidos e perseverantes neste serviço Pastoral da Igreja do Brasil – importante Rede de prevenção e cuidado com as pessoas que vivem e convivem com HIV e Aids e seus familiares. Que cada um e todos nós, em sua situação concreta, estejamos bem atentos para percebermos onde a ação é mais urgente, a fim de que possamos ser presença profética na luta contra Aids, formando um grande mutirão pela vida.

Na Diocese de Crato , as ações acontecem no dia 1º de dezembro com a iluminação da Estatua do Padre Cícero no Horto, em Juazeiro do Norte, de vermelho para recordar a luta contra Aids, como Missas e panfletagens na  Sé Catedral de Nossa Senhora da Penha (Crato), nas Paróquias de São Vicente Ferrer (Lavras) e São Raimundo Nonato (Várzea Alegre),  como nas Paróquias São Francisco das Chagas, São Cristóvão, Nossa Senhora Aparecida, localizadas em Juazeiro do Norte.

 

Por Ronildo Oliveira – Pastoral da Aids

Posts Relacionados

Facebook

Instagram

Últimos Posts