Paroquianos de Campos Sales agradecem trabalho pastoral de Padre Wilton Leite e acolhem novo pároco

Compartilhe:

Por trinta e seis anos e dois meses, Padre Wilton Leite conduziu, na fé, o povo católico de Campos Sales, município localizado a 137 quilômetros de Crato. Agora, pelos limites da idade (84 anos), confia a missão ao Padre Aduato Alencar, que já o auxiliava nas atividades pastorais. Ambos pertencem à mesma comunidade religiosa: Servos do Sagrado Coração/Santa Catarina Volpicelli (SSCCV).

Neste dia 8 de março, 2º Domingo da Quaresma, em Missa presidida pelo bispo diocesano, Dom Gilberto Pastana, o novo pároco iniciou o ministério à frente paróquia dedicada a Nossa Senhora da Penha.

Os paroquianos, por sua vez, ofertaram dupla ação de graças no altar do Senhor, agradecendo pelo cuidado pastoral do Padre Wilton e acolhendo, em espírito de fraternidade e alegria, o novo pastor e guia.

Natural de Campos Sales, Padre Adauto é sacerdote há doze anos. Tem formação em Filosofia e Teologia pela Faculdade Católica do Cariri, com mestrado em Teologia da Vida Cristã (Espiritualidade) pela Pontifícia Faculdade Teológica da Itália Meridional, em Nápoles, na Itália. O lema que o acompanha foi retirado do Evangelho de São Mateus: “Este é meu filho amado em quem me comprazo” (Cf. Mt 17,5).

Ao dirigir-se aos novos paroquianos, disse que está a serviço da Igreja. Para isso, conta com a graça do Pai celeste, com a experiência do antecessor, sempre em unidade com pastor diocesano, “para fazer da nossa paróquia e da nossa Igreja aquilo que pede os documentos: uma comunidade eclesial missionária”.

Ser testemunha de Jesus

Durante a homilia, Dom Gilberto lembrou que a missão pastoral deve estar dentro do proposto pela igreja, no anúncio da justiça e da Fraternidade.

Refletindo as leituras proclamadas (Gn 12, 1-4a e 2Tm 1, 8b-10), observou: “A vida é um caminho. Deus nos possibilita viver para caminharmos ou para irmos para o Reino ou para a destruição total. Assim como Abraão deve ser a nossa partida rumo ao Pai. Ele foi fiel e, ao caminhar, procurou ser sinal de Deus. Aqueles que carregam consigo o sinal de Deus fazem o bem. No Evangelho [que apresenta a narração da Transfiguração de Jesus] Mateus [17, 1-9] escreve para a comunidade de cristãos que estava se convertendo. Ele queria responder as perguntas daquele povo: ‘quem é Jesus e o que nós devemos fazer’?”.

<< Da esquerda para a direita: Padre Vaudênio Nergino, Padre Wilton Leite, Dom Gilberto Pastana, Padre Adauto Alencar e Padre Cícero José da Silva. Fotos: Mychelle Santos>>

O pastor diocesano também destacou o convite de Jesus aos três apóstolos que O acompanhavam no monte. Ele os convida e se transfigura na frente deles. Vendo-O glorificado, experimentaram o Céu na terra. “Tão grande foi a alegria, que Pedro pediu ao Senhor para ficarem para sempre ali. A experiência com o Senhor restaura nossa vida”, sublinhou Dom Gilberto, recordando, em seguida: “Ainda dentro dessa experiência, vem essa voz do Pai que diz quem é Jesus, o Filho amado, no qual ele põe todo o seu agrado. E diz: ‘escutai-o’. É isso que devemos fazer. Caminhemos para o Senhor, conduzidos por Ele, para que essa Palavra e esse Filho Amado sejam reflexos em nossa vida”.

<< Ao fim da Missa, a bênção foi invocada especialmente sob a nova diretoria da Pastoral da Sobriedade. Fotos: Mychelle Santos >>

 

Por: Assessoria de Comunicação

Posts Relacionados

Facebook

Instagram

Últimos Posts