“Palavra que é fermento”: Documentário homenageia o legado do Monsenhor José Mota

Compartilhe:

A trajetória e o legado do Monsenhor José Mota Mendes (in memoriam) chamaram a atenção do jornalista Bruno Siebra e do comunicador Yago Rodrigues, inspirando-os a compartilhar sua história com um público mais amplo. Assim nasceu o documentário “Palavra que é fermento: O legado do Monsenhor Mota”.

Com 90 minutos de duração e baseado em depoimentos, o documentário retrata a influência e a participação do sacerdote na cultura, religião e na vida dos moradores de Várzea Alegre. O lançamento será nesta sexta-feira, 24 de maio, na Capela São Vicente de Paulo, em Várzea Alegre, a partir das 18h. Sessões especiais ocorrerão durante a semana na cidade. Além disso, o documentário estará disponível na plataforma YouTube.

Monsenhor José Mota faleceu em 4 de outubro de 2022, aos 81 anos, dos quais 54 foram dedicados ao ministério presbiteral, especialmente em Várzea Alegre, onde serviu desde 1968.

Leia também: 

Por Assessoria de Comunicação 

Posts Relacionados

Facebook

Instagram

Últimos Posts

Pe. Antonio Hilton da Silva, CSJ

Nascimento: Religioso: Congregação de São José – Josefinos de Murialdo Ordenação diaconal: 19/06/2022 Ordenação sacerdotal: 04/02/2023 Estudo: Filosofia, em Brasília–DF — 2015/2016 Magistério, Mendoza (Argentina)