Oito diáconos transitórios serão ordenados para a Igreja de Crato

Compartilhe:

A partir do próximo dia 25 de maio a Igreja de Crato passará a contar com o serviço de oito diáconos transitórios. São eles: Admo de Sousa, Bruno Ferreira, Cícero Cladson, Cicero Felipe Dalisramon Cruz, Filipe Gonçalves, José Maycon e Rodrigo Rêmulo. A ordenação será na Sé Catedral de Nossa Senhora da Penha, às 16h. O ministério diaconal transitório – ou temporário – é dado àqueles que se prepararam para o sacerdócio.

Para prepararem os corações para este momento sagrado, entre os dias 9 e 14 de maio, os candidatos ao diaconato participaram de retiro espiritual, conduzido pelo Padre Antônio Romão, no Centro de Expansão Dom Vicente de Araújo Matos, em Crato.

Conheça os candidatos ao diaconato:

Admo de Sousa Matos, 27 anos, enviado ao Seminário pela Paróquia Nossa Senhora de Lourdes, município de Juazeiro do Norte

“Minha vocação nasceu no seio familiar. Meus pais desde cedo levavam a mim e a meus irmãos para a Igreja, Participando da vida pastoral da paróquia. Participando, o chamado de Deus cresceu no meu coração a ponto de entregar minha vida a sua santa vontade e deixar que ele a guie. Chegando a esses dias próximos a ordenação diaconal, posso dizer que meu coração se encontra agradecido por tamanha graça me conceder servir a Cristo e a sua Igreja”.

 

Bruno Ferreira da Silva, 26 anos, enviado ao Seminário pela Paróquia de origem: Paróquia São José, município de Missão Velha

“Desde criança senti o desejo de ser sacerdote, nutrindo o início da vocação com as orações aprendidas na vivência da comunidade. De modo simples, mas do meio do povo senti o apelo de seguir o Senhor mais de perto.  Em 2012 fui convidado a participar do despertar vocacional, que reacendeu a chama da vocação. A ordenação confirma o chamado ao seguimento do Mestre, por isso de forma livre e amorosa espero confiante na graça que a Igreja me confiará em ser servidor da Palavra, da Eucaristia e do Povo de Deus”.

 

Cícero Cladson Pereira da Silva, 26 anos, enviado ao seminário pela Paróquia São Pedro, município de Caririaçu

“Iniciei minha caminhada vocacional com orientação dos Carmelitas, aonde fez frutificar minha espiritualidade pessoal, até que aos 17 anos, deixando de lado as oportunidades seculares, abracei a vida religiosa entrando no Seminário Diocesano São José. A expectativa para a ordenação diaconal é vivida com fortes emoções seguida do sentimento de grande responsabilidade. Uma vida que a 9 anos começou a se doar, chegou o momento de coroar toda uma caminhada com uma entrega total e incondicional da vida, ao mesmo passo em que me preparo para viver em uma nova história de amor”.

 

Cícero Felipe Tavares de Sousa, 27 anos, enviado ao Seminário pela Paróquia Sagrado Coração de Jesus – Palestina do Cariri, distrito de Mauriti

“Desde criança, ao ver o padre celebrar a missa na Igreja, mantive no coração o desejo de abraçar a vocação sacerdotal. O trabalho das Irmãs beneditinas missionárias de Tutzing também foi muito importante na minha caminhada de Igreja e em meu discernimento vocacional. Com o coração cheio de entusiasmo, amor e confiança aguardo o dia da nossa ordenação Diaconal, com entusiasmo e muito amor, pois com certeza será um grande dia, em que poderei pronunciar o meu “sim” ao Senhor, que me chamou para esta missão”.

 

Dalisramon Cruz Silva, 29 anos, enviado ao Seminário pela Paróquia São José, município de Missão Velha

“Desde pequeno eu brincava de celebrar missa e de fazer igrejinhas era a minha maior felicidade e diversão fazer tudo isso. Com o passar do tempo cada vez mais ardia no meu coração o chamando de Deus. Com a ordenação diaconal só se confirma o chamado de Deus na minha vida. Quero servir com muito amor e alegria o meu ministério diaconal sempre com o meu olhar para Cristo servidor e fazer sempre aquilo que o Senhor me pede servir com alegria. Acredito que esse momento ficará marcado na minha vida e na vida daqueles que mim acompanham e rezam por mim.”.

 

Filipe Gonçalves Macêdo, 30 anos, enviado ao Seminário da Paróquia Senhor Menino Deus, município de Aurora

“Era véspera de uma Quinta-feira Santa. Eu tinha 9 anos de idade. Um amigo me convidou para ser coroinha em minha paróquia, e logo comecei o período de experiência. Este primeiro contato com a liturgia me encantou e cativou. Pela Liturgia Ele me chamou e me sustenta. Onze anos após aquele dia, resolvi aceitar o chamado de Deus e iniciei o processo de discernimento vocacional paróquia. À medida que se aproximam os dias da consagração por meio da Ordenação Diaconal, reafirmo o desejo de seguir o Senhor oferecendo-Lhe meu ser em sua Igreja e no seu povo”.

 

José Maycon de Lacerda Sales, 26 anos, enviado ao Seminário pela Paróquia Nossa Senhora de Conceição, município de Mauriti

“Minha vocação nasceu no meio de minha família, pela fé simples, nutrida no amor à Igreja, aos santos, à Virgem Maria e à Santíssima Eucaristia. Todavia, foi a partir do grupo de coroinhas que este chamado à vocação sacerdotal ganhou força, sobretudo, pela proximidade ao altar do Senhor. No altar amadureci este desejo de ser padre. Quanto às expectativas para o ministério ordenado, o meu coração exulta de alegria pela chegada deste dia. Espero corresponder com solicitude aquilo que o Cristo, Bom Pastor pede a mim”.


Rodrigo Rêmulo Leite Pereira, 27 Anos, enviado ao Seminário pela Paróquia Santo Antônio – Santuário Diocesano da Misericórdia, no município de Barro

“Senti o despertar da vocação desde a infância, pois cresci numa família muito católica, sobretudo nos momentos fortes da comunidade, como o mês mariano. A inserção na vida paroquial veio confirmar o desejo de uma entrega maior ao serviço de Deus e do povo, por isso desejei entrar no seminário e aqui estou. A expectativa maior é servir com generosidade, na caridade pastoral, a Cristo e à Igreja, inserido na comunidade, com seus desafios próprios, dócil aos apelos de Deus na situação específica à qual serei enviado”.

Por Assessoria de Comunicação

Posts Relacionados

Facebook

Instagram

Últimos Posts