Intenção de Junho: Papa Francisco reza pelos migrantes forçados a deixar seu país

Compartilhe:

Nas intenções de oração para o mês de junho, Francisco reza pelos que fogem de seu país. Através da mensagem em vídeo, confiada à Rede Mundial de Oração do Papa, o Pontífice recorda o “drama que vivem as pessoas forçadas a abandonar sua terra, fugindo de guerras ou da pobreza, se une tantas vezes o sentimento de desenraizamento, de não saber aonde se pertence”.

Reflexão

O Papa este mês convida-nos a rezar por todos os migrantes que fogem da guerra ou da fome para encontrarem acolhimento e novas oportunidades de vida nos Países que os recebem. Os migrantes que fogem da guerra e da fome, com frequência sobrevivente de viagens desesperadas, são motivo de batalhas políticas. Mas ser católico, ou seja, universal, significa sentir-se responsável pelo que acontece, inclusivamente fora das nossas fronteiras: é necessário não só proteger e acolher os que se encontram em necessidade, mas também ajudá-los a construir uma vida nova; particularmente num tempo em que o número de refugiados no mundo atingiu os níveis mais elevados desde a Segunda Guerra Mundial. Um dos contributos mais importantes do Papa Francisco para o tema da migração foi o seu chamamento à criação de uma «cultura do encontro» (EG 220). Em muitas ocasiões, e particularmente na Fratelli tutti, pronunciou-se contra a «cultura dos muros» (27) que divide as pessoas e pediu aos países que trabalhem em conjunto para encontrar soluções baseadas na compaixão e no respeito pela dignidade humana. Pediu à Igreja que seja um «hospital de campanha» que dê atenção e assistência aos mais necessitados. O Santo Padre sublinha que, perante este drama de milhões de pessoas obrigadas a abandonar as suas terras por causa da guerra, da pobreza e da violência, a nossa resposta comum poderia articular-se em torno de quatro verbos: «acolher, proteger, promover e integrar». Neste mês dedicado ao Coração de Jesus, também a ONU declarou o dia 26 com dia mundial dos refugiados. Recordemos particularmente no nosso coração e oração todas estas pessoas presentes nesta condição humana e existencial.

Oração

Pai amoroso, que acolhes todos os teus filhos e filhas: pedimos-te hoje pelos migrantes que fogem das guerras ou da fome. Que encontrem acolhimento e novas oportunidades de vida nos países que os recebem.

O acolhimento é uma expressão do amor, desse dinamismo de abertura que nos impele a colocar a atenção no outro, a buscar o melhor para a sua vida. Sabemos que, com frequência, o imigrante é visto como um usurpador que não oferece nada, e, assim, chegamos a pensar ingenuamente que os pobres são perigosos ou inúteis e que os poderosos são generosos benfeitores.

Ensina-nos a ser Igreja “hospital de campanha”, a viver cada vez melhor o acolhimento, a promover uma cultura do acolhimento que proteja e integre; a pensar e gerar um mundo aberto, a ter como critério não a utilidade do outro, mas sim o valor em si que a pessoa representa. E que os diferentes países do mundo sejam capazes de pensar não apenas como país, mas também como família humana, porque somente uma cultura social e política que incorpore o acolhimento gratuito poderá ter futuro.

Amém.

Desafios

  • Acolher o estranho Vês os outros como estranhos ou como verdadeiros irmãos? Há alguém nas periferias do teu coração?
  • Mostrar empatia e compreensãoPresta atenção: quem precisa hoje da tua empatia, de se sentir acolhido por ti?
  • Promover a inclusão e a integraçãoDescobre quem são os exilados ocultos nos lugares da tua vida e pensa de que maneira os podes integrar.
  • Oferecer ajuda prática e emocionalPede a Jesus o seu coração compassivo, para ajudares quem necessitar da tua ajuda concreta hoje.
  • Ser solidárioQual é o teu critério? Valorizas o outro pelo que é? Estás pendente de que te agradeça os teus serviços? Isto é básico na hora de viver uma solidariedade autêntica.

 

Posts Relacionados

Facebook

Instagram

Últimos Posts

Pe. Antonio Hilton da Silva, CSJ

Nascimento: Religioso: Congregação de São José – Josefinos de Murialdo Ordenação diaconal: 19/06/2022 Ordenação sacerdotal: 04/02/2023 Estudo: Filosofia, em Brasília–DF — 2015/2016 Magistério, Mendoza (Argentina)