Festa da Sagrada Família: Jesus, Maria e José, nossa família vossa é

Compartilhe:

DOMINGO NA OITAVA DE NATAL – ANO B

“Maria e José levaram Jesus a Jerusalém, a fim de apresentá-lo ao Senhor” (Lc. 2,22).

Amados irmãos e amadas irmãs!

A celebração de hoje nos ajuda a meditar e compreender o sentido da família e de seu valor para a sociedade. Assim a Palavra de Deus deste domingo nos convida a contemplar a família de Jesus como exemplo e modelo das nossas comunidades familiares.  Assim como a Sagrada Família, as nossas famílias devem se empenhar em cumprir cuidadosamente os preceitos do Senhor e viver atentas às necessidades dos irmãos.

Na Primeira Leitura, o sábio autor do Livro do Eclesiástico aconselha, de forma prática, algumas atitudes que os filhos devem ter para com os pais. Na sociedade atual, onde os valores familiares são, a cada dia, negados ou destruídos, um convite a honrar os pais, escutá-los, ter atenção às suas orientações e conselhos, ser paciente diante das limitações que a idade ou a doença trazem é uma forma de concretizar o amor de que fala a Segunda Leitura.

Nela, São Paulo, como pai espiritual de suas comunidades, enfatiza que o amor deve brotar dos gestos concretos na vida dos que foram marcados pelo batismo e se tornaram “por Cristo, com Cristo e em Cristo”, família de Deus. Por isso, as famílias devem se revestir de valores que manifestam a presença do Homem Novo. O que isso significa?  Cultivar um conjunto de virtudes que expressam a união do cristão com Cristo: misericórdia, bondade, humildade, mansidão, paciência. Acima de tudo, a Caridade é quem deve presidir às relações entre os membros de uma família, “pois o amor é vínculo de perfeição”. (Cl. 3,14) Assim como ocorre na Sagrada Família, esse amor deve ser vivido concretamente com todos aqueles que partilham o ambiente familiar e deve ser manifestado em atitudes de compreensão, de bondade, de respeito, de partilha e de serviço.

O Evangelho nos coloca diante da Sagrada Família de Nazaré apresentando Jesus no Templo de Jerusalém.  O momento revela uma família que, tendo o amor de Deus como centro de suas vidas, escuta a Sua Palavra e procura concretizá-la no dia a dia consagrando também a vida dos seus membros. Nas palavras de Ana e Simeão, Lucas indica-nos o exemplo de dois anciãos que, olhando para o futuro, são capazes de perceber os sinais de Deus e de testemunhar a presença libertadora de d’Ele no meio dos homens. Suas palavras proclamam que Jesus é o Deus que vem ao encontro dos homens com uma missão que lhe foi confiada pelo Pai. Sua missão é libertar a humanidade da escravidão do pecado e apresentar-lhes a proposta de salvação de Deus tornando todos os povos da terra membros do Povo de Deus. Qual é a importância que a Palavra de Deus possui na vida das nossas famílias? Encontramos tempo para nos reunir em torno desta Palavra? E para partilhá-la?

Padre Paulo Sérgio Silva

Pároco da Paróquia São Sebastião, em Mangabeira, distrito de Lavras – CE

Posts Relacionados

Facebook

Instagram

Últimos Posts