“Em comunhão com toda a Igreja aqui estamos”: Clero renova os compromissos sacerdotais durante Missa do Crisma

Compartilhe:

Como prelúdio das celebrações do Tríduo Pascal, os sacerdotes da Diocese de Crato reunidos na Igreja Mãe – a Sé Catedral Nossa Senhora da Penha, renovaram as promessas de fidelidade, nesta Quinta-feira Santa (14), durante a Missa do Crisma. Dom Magnus Henrique presidiu a solene cerimônia, pela primeira vez, como bispo diocesano. Junto aos padres, ele também recordou o dia da Ordenação, revestido de um encontro fraterno.

“Recordaremos o entusiasmo do primeiro ‘sim’, pronunciado no dia da Ordenação presbiteral. Devemos repetir todos os dias, conscientes de termos sido convidados a servir, fazendo parte da vida e de tantos momentos. O Sacerdote é aquele a quem as pessoas confiam as suas dores, somos mensageiros da vocação suprema do homem à vida eterna em Deus”, exortou Dom Magnus.

Segundo o Cerimonial dos Bispos, a Missa Crismal, ou dos Santos Óleos é “a manifestação mais importante da Igreja local”, porque “manifesta não somente a unidade, mas também a diversidade dos ministérios ao redor do bispo e da Sagrada Eucaristia”. Este mesmo cerimonial sublinha “a plena e ativa participação de todo o povo santo de Deus”, que deverá ser convocado “em maior número possível”.

Durante esta solene liturgia, o bispo, rodeado pelo seu presbitério e pelo seu povo, consagra o santo crisma e benze os óleos dos catecúmenos e dos enfermos, que, posteriormente, serão usados, nas paróquias e comunidades, nos vários sacramentos. Os Santos Óleos são fabricados a partir do óleo de oliveira. Ao óleo do Crisma é acrescentado um bálsamo da Terra Santa, um perfume do tempo de Jesus, chamado “nardo”.

Ordenado há quase três meses para o serviço da Igreja, Padre Leonys dos Anjos falou da experiência de retornar à Sé Catedral para renovar as promessas feitas em sua ordenação: “Todos os anos, quando participava ainda como seminaristas e diáconos, já sentia a presença da Igreja, e hoje, de forma mais forte, essa realidade de vivência eclesial se manifesta na presença do bispo, do clero e de todo o povo de Deus”.

O neossacerdote ainda acrescentou que “renovando as promessas é uma confirmação do chamado e da vocação, é confirmar a realização de ser sacerdote, e assim, com o povo, sermos esse corpo místico de Cristo”, disse.

Texto: Jornalista Mychelle Santos

Fotos: Seminarista Gabriel Pereira e Ana Teresa

Posts Relacionados

Facebook

Instagram

Últimos Posts