Campanha da Mãe Peregrina: como viver a “Aliança de Amor” em tempos de isolamento social

Para os devotos da Mãe Rainha de Schoenstatt, o dia 18 de cada mês tem lugar especial no calendário. É quando celebram a renovação da “Aliança de Amor”. A data, assim como as visitas da capelinha, é acolhida com muito fervor e devoção. Por causa da pandemia do novo coronavírus, as visitas foram suspensas e as imagens recolhidas às casas das missionárias, responsáveis pela Campanha da Mãe Peregrina.

Essa campanha é parte de uma obra internacional, fundada pelo Padre José Kentenich, em 18 de outubro de 1914, em Schoenstatt, na Alemanha. O desejo do sacerdote era de que a Santíssima Virgem tivesse um lugar de honra nos lares. A aliança, como o próprio nome sugere, é o compromisso selado entre as famílias com a Mãe de Deus e renovado, a cada mês, no dia da fundação da Obra.

Em cada paróquia, a renovação é feita na igreja matriz ou nas capelas das comunidades, após a Missa ou a celebração da Palavra. Como os devotos estão em isolamento social, o assistente eclesiástico do Movimento de Schoenstatt na Diocese de Crato, Ceará, Padre José Ricardo Barros, orienta que esse momento seja feito em casa, junto à família, fortalecendo a “Igreja doméstica”.

Mas como viver essa espiritualidade em casa?

O primeiro passo, de acordo com Padre Ricardo, é reservar um momento para aprofundar a vivência da “Aliança de Amor”, centro de toda a espiritualidade do Movimento. Depois, definir um horário para fazer a celebração da aliança. É importante, para isso, manter um ambiente adequado. Televisão, celulares, ambientes movimentados e barulhentos podem disputar atenção. “Cada família é convidada a ornamentar um pequeno altar em suas casas, colocando no centro a Imagem da Mãe Peregrina com flores e velas”, disse o padre. Reunida, então, diante desse altar, a família renova o seu compromisso de fidelidade a partir da oração proposta para essa ocasião. Veja no video:

 

Quanto ao dia habitual da visita da capelinha, a orientação do padre é que as famílias busquem fazer dele um dia especial de homenagem. A criatividade, neste sentido, conta muito. “É um dia de graça para a família, por isso é tão importante aprofundar, ainda, mais a experiência de Schoenstatt”.

Essa experiência consiste em fazer a reza do terço, a proclamação e a partilha do Evangelho, para aquele dia, na intenção de alcançar as graças espirituais que são recebidas por meio da visita do Santuário [ou capelinha]: a graça do abrigo ou acolhimento espiritual, da transformação interior e da fecundidade apostólica.

<< Altar preparado pelo casal coordenador da Campanha da Mãe Peregrina, Tadeu e Rosany Ramos >>

Veja, a seguir, algumas indicações de como aprofundar essa vivência:

  • Nas incertezas da vida, Ela [a Mãe Rainha] presenteia abrigo e segurança no coração de Deus;
  • Quem se confia a Ela recebe a ajuda para desdobrar sua personalidade e experimentar o milagre da transformação interior;
  • Mara se faz dependente de nossa ajuda para continuar sua tarefa nesta terra: construir o Reino de seu Filho Jesus, um Reino de paz, de justiça e de amor.

 

<< Altar preparado pela devota Mirtes Leal, da Paróquia Nossa Senhora da Conceição, em Porteiras. >>
Por: Patrícia Mirelly / Assessoria de Comunicação

Adicionar Comentário

Clique aqui para postar seu comentário

Redes Sociais

Assine a nossa newsletter

Junte-se à nossa lista de correspondência para receber as últimas notícias e atualizações de nossa equipe.

You have Successfully Subscribed!