3º Domingo da Páscoa: Chamados a continuar a missão de Cristo Ressuscitado

Compartilhe:

Esta foi a terceira vez que Jesus, ressuscitado dos mortos, apareceu aos discípulos” (Jo. 21, 14)

A liturgia da Palavra de hoje, continuando a catequese iniciada no domingo anterior, reafirma a essência da missão da Comunidade eclesial (Igreja):anunciar Cristo ressuscitado; testemunhar e concretizar o projeto do Reino de Deus que Ele iniciou. À luz desta afirmação compreendemos que Jesus, vivo e ressuscitado, permanecerá sempre acompanhando a sua Igreja em missão, vivificando e rejuvenescendo-a com força do Espírito Santo e orientando-a com a sua Palavra.

Na primeira leitura (At. 5,27b-32.40b-41)acompanhamos o início do anúncio e testemunho da missão da comunidade apostólica e simultaneamente também o início das perseguições aos cristãos. Pedro, como outrora fizera tantas vezes diante de Jesus Cristo, professa sua fé. agora corajosamente diante do Sinédrio que interroga os discípulos em meio a ameaças. Podemos vislumbrar nas palavras de Pedro, a semente do que mais tarde se tornará o que conhecemos como “Credo” ou “Símbolo Apostólico” (que rezamos aos domingos). Ao falar diante dos perseguidores, Pedro e os discípulos cumprem os pedidos que Jesus lhes fez na terceira vez que apareceu a eles como ressuscitado. Mesmo que o mundo se oponha ao nosso testemunho, o cristão deve antes obedecer a Deus do que aos homens.

Na segunda leitura (Ap. 5,11-14) João continua descrevendo as revelações recebidas no seu exílio na ilha de Patmos. Se trata de um testemunho onde Jesus é apresentado como o “Cordeiro” imolado que ao vencer a morte, libertou definitivamente a humanidade. Ouvimosnarrada uma celebração litúrgica que une céu e a terra. No céu os anjos louvam a este “Cordeiro” pela sua fidelidade a Deus Pai e na terra, a criação (todas as criaturas) manifesta sua adoração diante do ressuscitado” pela sua vitória. No final, os quatros seres vivos (que são os 4 evangelistas / Marcos, Mateus, Lucas e João) se unem aos “Anciãos” (os 12 Apóstolos) em adoração a Jesus ressuscitado.

O Evangelho (Jo. 21,1-19) relata a terceira aparição de Jesus ressuscitado aos discípulos. Este encontro recorda o início da missão dos apóstolos – Jesus os encontrou na beira do lago de Genesaré (Lc.5,1-10) e a beira do Jordão (Jo. 1,35-42) e do Mar da Galiléia (Mt. 4,18-22 /Mc. 1,16-20) e possui sabor de despedida, pois Jesus se preparava para ascender ao céu enquanto aconselhava os apóstolos a perpetuar sua missão messiânica. Todavia a ação de pescar pode também representar a tentação de abandonar a missão cristã e retornar a vida anterior (Pedro trabalhava como pescador antes de encontrar Jesus).

Como no primeiro encontro, a pesca durante a noite resulta infrutífera. A noite é o tempo da escuridão, da ausência de luz (Jesus). Ao amanhecer, com a chegada da luz, Jesus aparece e ordena novamente lançar as redes. A abundante pesca e a partilha do alimento em terra firme são sinais do amor, do serviço e da solicitude com que Jesus acompanha sua comunidade em missão.

Em seguida temos a tríplice confissão de fé e amor realizada por Pedro. Qual o seu significado? Durante a Ceia, Pedro inicialmente recusou se deixar lavar por Jesus e depois durante o julgamento, negou o Mestre por três vezes. A tríplice resposta exigida por Jesus a Pedro neste momento representa um convite, urgente e necessário, para que o discípulo mude a mentalidade, se deixe abraçar pelo dom do serviço e se deixe converter pelo amor, valor fundamental e essencial para os convidados do Reino de Deus.

Não há lugar neste Reino para quem não está disposto a percorrer o caminho do Serviço, da Doação e do Amor como Jesus percorreu. Ao confiar a Pedro a missão de presidir na Caridade a sua comunidade Jesus o convida a descobrir de onde se origina a verdadeira autoridade: no serviço e na entrega amorosa.

Em nossos dias de sociedade cada vez mais tecnológica e individualista, nós, os cristãos, somente teremos êxito de uma pesca abundante – o anúncio do Evangelho – se vivermos a comunhão, a unidade,reconhecermos o Ressuscitado junto dos seus irmãos e irmãs (Cf: Mt. 25, 31-46) e nos deixarmos guiar pela sua Palavra.

Pe. Paulo Sérgio 

Paróquia Nossa Senhora da Conceição – Farias Brito.

Posts Relacionados

Facebook

Instagram

Últimos Posts