“Capelão do Santo Padre”: Em Campos Sales, Padre José Wilton Leite recebe título de Monsenhor

Compartilhe:

Ordenado sacerdote para a Santa Igreja há cinquenta anos, Padre José Wilton Leite traz uma bonita história de doação, testemunho e empenho na propagação do Evangelho. Tal exemplo de vida sacerdotal lhe rendeu o título de “Monsenhor”, concedido pelo Santo Padre, o Papa Francisco. A honraria fora um marco do jubileu sacerdotal do Padre Wilton, celebrado em 02 de janeiro deste ano.

A celebração foi realizada na Paróquia Nossa Senhora da Penha, em Campos Sales, no último domingo, 15 de maio, com a presença do Vigário geral da Diocese de Crato, Padre José Vicente Pinto. Nas terras do Cariri oeste, o sacerdote pastoreou o rebanho durante pouco mais de trinta e oito anos.

O rito de entrega aconteceu ainda no lado de fora Igreja Matriz, e constitui-se de dois momentos: a leitura do documento de nomeação e a imposição do barrete (veste litúrgica). Concluído a cerimônia, o agora Monsenhor José Wilton, foi acolhido por uma assembleia fervorosa, ao passo que o coral entoava a “Marcha da Igreja”, iniciando a Santa Missa.

Entenda o título: O título de monsenhor é honorífico e solicitado pelo bispo à Santa Sé, em Roma. Esta, por sua vez, concede-o como “capelão do Santo Padre”. Não acrescenta nada, em questões de Ordem [Sacerdotal], é apenas um reconhecimento.

“O sumo pontífice inclui, entre os seus capelães, o reverendo senhor José Wilton Leita, da Diocese de Crato, o qual, a partir de então, seja oportunamente, tratado por reverendo senhor”, diz o documento enviado pelo Papa Francisco.

 

Jubileu de ouro sacerdotal

Natural de Aurora, Monsenhor José Wilton Leite, foi ordenado sacerdote para o serviço da Igreja em 02 de janeiro de 1972, na Paróquia Senhor Menino Deus – sua paróquia de origem, pela imposição das mãos do então bispo diocesano de Crato, Dom Vicente. Em Farias Brito, na Paróquia Nossa Senhora da Conceição, iniciou o seu ministério sacerdotal, onde esteve por doze anos.

No ano de 1984 foi transferido para a Paróquia de Nossa Senhora da Penha, em Campos Sales, onde se dedicou ao serviço pastoral e educacional, animando a construção de várias capelas nas comunidades rurais e urbanas. O sacerdote é um amante da animação vocacional, quatro anos depois, em 1994, fundou a Associação Religiosa dos Servos do Sagrado Coração de Santa Catarina Volpicelli – Servos Volpicellianos.

Por Jornalista Mychelle Santos / Assessoria de Comunicação

Posts Relacionados

Facebook

Instagram

Últimos Posts