Comitê de Migração e Refúgio apresenta Mala Viajante e Plano de Acolhida

As causas que levam à migração, sobretudo dos povos venezuelanos, nos últimos meses, vão além de questões econômicas e/ou políticas. Elas são motivadas, também, pela constante e generalizada violação de direitos humanos. Esse processo têm convocado as diferentes organizações e instituições para uma tomada de posição e acolhida aos diversos grupos de pessoas que se deslocam, todos os dias, em busca de uma nova condição de vida e trabalho. A Igreja de Crato é uma delas.

Encabeçada pela Cáritas Diocesana e o Comitê de Migração e Refúgio do Cariri Cearense (do qual ela também faz parte) na manhã desta quinta-feira, em encontro na Cúria, em Crato, foi apresentado o projeto “Mala Viajante” e o Plano de Acolhida, ambos voltados à integração dos migrantes e à sensibilização da população local.

“A gente está conseguindo, aos poucos, combater o preconceito e acolher. A nossa proposta é esta: acolher mais pessoas, parceiros e parceiras, para estar com a gente nessa missão”, disse a agente Cáritas, Solange Santana.

De ação humanitária,  a ideia do Plano é acolher cinquenta famílias venezuelanas e contribuir com a integração dos migrantes no Cariri Cearense. Até dezembro, pretende acolher, ao menos, cinco. Para isso, elas serão devidamente cadastradas pelo Comitê e encaminhadas às casas e abrigos, que já estão sendo preparadas – e cedidas – por diversas pessoas sensíveis à causa.

Também é objetivo desse Plano de Acolhida a realização de ações estratégicas, como a arrecadação de alimentos, entre os dias 4 e 25 de novembro, nas paróquias da Diocese de Crato. Tudo quanto for coletado será enviado à Diocese de Roraima, Estado por onde os migrantes têm entrado no Brasil.

Já a “Mala Viajante”, faz parte da Campanha “Compartilhe a Viagem – Coletando Histórias de Vida”, fruto de um projeto internacional da Cáritas, com total apoio do Papa Francisco. Essa Mala está na Diocese e ficará exposta à visitação  até domingo, depois será entregue à Diocese de Iguatu. Dentro dela estão cartas e objetos que carregam a memória e traços da caminhada percorrida pelos migrantes e refugiados. A intenção é de que as pessoas possam conhecer as histórias de vida, as lembranças e os momentos vivenciados por cada um – e cada uma – que tem buscado alento fora de sua terra natal.

Confira os pontos percorridos pela “Mala Viajante”:

Sexta, dia 2/11: Exposição dos Produtos de Base da Economia Solidária (Expofam), no Parque de Exposição Pedro Felício Cavalcante, em Crato;

Sábado, dia 3/11: Reunião da Forania I, no Salão Paroquial da Sé Catedral;

Domingo, dia 4/11: Missa das 9h, na Igreja Catedral.

 

Por Patrícia Mirelly/Assessoria de Comunicação

 

Adicionar Comentário

Clique aqui para postar seu comentário

Redes Sociais

Assine a nossa newsletter

Junte-se à nossa lista de correspondência para receber as últimas notícias e atualizações de nossa equipe.

You have Successfully Subscribed!