DNJ 2017: A alegria vibrante da Juventude em defesa da vida dos Povos e da Mãe-terra

Compartilhe:

“Façam bagunça! […] Uma bagunça que nos dê um coração livre, uma bagunça que nos dê solidariedade, uma bagunça que nos dê esperança, uma bagunça que nasça de ter conhecido Jesus”, foi a exortação do Papa Francisco aos milhares de jovens que o aguardavam por ocasião de sua chegada ao Paraguai.

Seguindo à risca o pedido do papa, jovens das cinco regiões forâneas da Diocese de Crato celebraram, com grande jubilo e santa bagunça, o Dia Nacional da Juventude, DNJ, na tarde deste domingo, dia 29.

Centralizada no tema “Juventude em defesa da vida e dos povos da Mãe-Terra”, numa alusão à Campanha da Fraternidade deste ano, o evento foi promovido pelo Setor Juventude, tendo concentração na Praça Padre Cícero, com louvor e oração, depois “arrastão” com trio elétrico pelas ruas da cidade, até a Igreja Matriz de São Francisco das Chagas (também conhecida por Santuário dos Franciscanos), onde participaram da Santa Missa.

“É uma satisfação saber que a juventude diocesana de Crato está unida, celebrando esta bonita festa”, considerou Padre José Ricardo, assistente eclesiástico do Setor Juventude.

Catequese

O Dia Nacional da Juventude, além de celebração, é um momento de reflexão. Este ano, os jovens tiveram a oportunidade de refletir sobre a defesa da vida e os povos da Mãe-Terra.

O momento formativo foi conduzido pelo bispo Dom Gilberto Pastana. A partir da Encíclica Laudato Si, do Papa Francisco, e algumas músicas referentes à natureza, ele exortou os jovens a participar, de forma mais ativa e integrada, à sensibilidade ao espírito generoso no cuidado com a vida e a natureza.

“Se somos de Deus, temos que atuar influenciar neste mundo, mas uma influência positiva, a partir do Senhor”, orientou o pastor diocesano.

Cultura, Ecologia e Território

Durante a caminhada, foram utilizados três espaços na cidade para a reflexão dos temas cultura, ecologia e território, apresentados pelos grupos da Juventude Missionária, Segue-me e Pastoral da Juventude da cidade de Granjeiro, respectivamente.

Para Naiane Bezerra, da PJ de Granjeiro, este foi um momento “incrível, muitos jovens de diferentes expressões se unindo e mostrando que a Igreja é, sim, jovem”. Maria Erica, da Comunidade Sal da Terra, disse que a alegria foi tanta que “me faz não querer estar em mais nenhum lugar”. Eduardo Alves, também: “Foi minha primeira vez aqui, no DNJ. Uma experiência muito boa”, considerou.

“Nós tivemos uma mobilização muito grande, inclusive com ajuda dos párocos”, contou Joana Darc Barbosa, da Pastoral da Juventude e da equipe de organização do evento.

Padre Edvan Carlos, pároco de Granjeiro, avaliou que é preciso “dar essa oportunidade a juventude, de mostrar sua força, sua alegria e espiritualidade, animando-na nas pastorais da Igreja e no anúncio do Evangelho, estando presente em sua vida”.

Ao DNJ também estiveram os padres Cícero José (da Basílica), Padre Gonçalves, (da Palmeirinha) e Vaudenio Nergino (São João Bosco), além de religiosas que acompanham e assessoram a juventude: Filhas de Santa Teresa de Jesus (Crato), Irmãs Guanellianas (Missão Velha) e Filhas da Imaculada Conceição de Buenos Aires (Lavras da Mangabeira).

Sobre o DNJ

Há 30 anos foi decretado pela Organização das Nações Unidas, ONU, “O Ano Internacional da Juventude”. Como gesto concreto, a Pastoral da Juventude do Brasil assumiu a celebração do DIA NACIONAL DA JUVENTUDE, marcado por mobilizações de milhares de jovens, em todo o país, para celebrar, como igreja, a vida da juventude.

Para saber mais, acesse: http://jovensconectados.org.br/canal/juventude/dnj

 

Por: Jornalista Patrícia Mirelly

Posts Relacionados

Facebook

Instagram

Últimos Posts