Paróquia de Assaré celebra festa da padroeira até dia 15; programe-se!

Desde o último dia seis, fitando o vínculo materno de Maria Santíssima, Senhora das dores e das alegrias, os paroquianos de Assaré saúdam, em festejo solene, a memória da santa padroeira. Até o próximo dia 15, na Igreja Matriz, localizada no centro da cidade, é rezada a “Setena” de Nossa Senhora, em alusão as sete dores sentidas por Ela, em sua vida terrena, culminando com a paixão, morte e sepultamento de Seu Divino Filho.

“Este ano, nós trouxemos uma novidade: uma carreata, manifestação de carinho e afeto a Nossa Senhora. E foi muito bonita, muito bem participada. Depois, tivemos a Santa Missa, em seguida o padre fez uma hora e meia de louvor na praça. Isso no dia 6. No dia seguinte, foi a abertura, com o hasteamento da bandeira. Durante a manhã, às cinco horas, nós ainda temos caminhada, todos os dias. Eu fico impressionado com a quantidade de gente”, explicou o pároco, Padre Paulo Costa, nomeado há pouco mais de oito meses.

Neste domingo (9), segundo dia da “Setena”, o bispo diocesano de Crato, Dom Gilberto Pastana, presidiu a Santa Missa, na noite em que as repartições públicas do município, sindicatos e associações, junto à Pastoral do Dízimo e ao Grupo Jesus da Misericórdia, prestaram as suas homenagens a Virgem das Dores.

Na homilia, o bispo frisou que a proposta da festa é de espiritualidade e confraternização para todas as famílias, para que façam da Casa de Maria, sua própria casa. “Que cada um de nós, durante essa novena, reflita sobre a nossa vida, observando a Palavra de Deus que causa, em nós, transformações e gera vida Que esse festejo nos ajude, então, a sermos, sempre mais, discípulos do Senhor”.

Para saber mais:

Os primeiros traços da piedosa devoção a Nossa Senhora das Dores, na Igreja, encontram-se nos escritos de Santo Anselmo e de muitos monges beneditinos e cistercienses, tendo nascido da meditação da passagem do Evangelho que nos mostra a dulcíssima Mãe de Deus e São João aos pés da Cruz do divino Salvador.

Foi a compaixão da Virgem Imaculada que alimentou a piedade dos fiéis. Somente no século XIV, talvez opondo-se às cinco alegrias de Nossa Senhora, foi que apareceram as cinco dores que variariam de episódios:

1. A profecia de Simeão
2. A perda de Jesus em Jerusalém
3. A prisão de Jesus
4. A paixão
5. A morte

Fonte: http://www.arautos.org/secoes/artigos/especiais/nossa-senhora-das-dores-2-144156

Clique nas imagens para ver a programação completa da Festa de Nossa Senhora das Dores em Assaré:

Por Patrícia Mirelly/Assessoria de Comunicação

 

Adicionar Comentário

Clique aqui para postar seu comentário

Redes Sociais

Assine a nossa newsletter

Junte-se à nossa lista de correspondência para receber as últimas notícias e atualizações de nossa equipe.

You have Successfully Subscribed!