Notícia da Diocese

Com as crianças se fez pequeno para falar sobre o reino de Deus

Autor: Jornalista Patrícia Silva

É notório o amor pela causa do reino de Deus expressada por dom Gilberto Pastana. Seja nas igrejas matrizes ou nas capelas das comunidades, seja falando para crianças, jovens, adultos ou idosos percebemos de forma nítida como as palavras soam de dentro do seu coração e como suas ações são realizadas de forma natural, emanando o próprio evangelho de Cristo.

Ontem (10) pela manhã, por exemplo, no segundo dia da visita pastoral que o bispo realizada na Paróquia Sagrado Coração de Jesus, em Crato, após a missa presidida na intenção do dia dos diáconos, ele foi até a Creche Comunitária Nossa Senhora Aparecida, onde 125 crianças, das séries iniciais, recebem as primeiras orientações educacionais vindas do ambiente escolar. No vídeo a acolhida de algumas das crianças da creche:

Ao ir ao encontro das crianças em suas salas de aulas, dom Pastana levava alegria, brincava com elas e chegou até a sentar-se em uma cadeira pequena, em um circulo formado pela professora, ficando por um momento igual, no tamanho, para falar com elas sobre “Papai do Céu” e sua “Mãezinha Maria”. A grandiosidade do mistério de Deus pareceu tão simples naquele diálogo.

Depois o bispo andarilho visitou mais algumas crianças, agora na Escola Tia Linard, que atende alunos do ensino infantil três até o sexto ano. Ali os alunos vinham estudando, há uma semana, sobre a função do bispo, quais foram seus antecessores, o que é a diocese de Crato e quem era dom Gilberto Pastana. Os resultados dos trabalhos estavam expostos nas paredes dos corredores da escola. Bandeiras pequenas com a foto do bispo foram seguradas por cada um.

Em uma sala de aula da Escola Tia Linard. (Foto: Patrícia Silva)

Atencioso, dom Gilberto também visitou os alunos nas salas e ao adentrá-las, respondia pacientemente as curiosidades que eles tinha sobre como é a vida de um pastor diocesano e, como um bom pai, não disfarçava o brilho no olhar ao ver cada pequeno se aproximar pedindo sua atenção, como a Maria Clara, de 9 anos, que levantando a mão disse de forma espontânea e meiga: “Dom Gilberto, queria que o senhor rezasse por uma viagem que vou fazer hoje para Porto de Galinhas. É a primeira vez que vou ver o mar”.

Como não atender a um pedido tão singelo? O que parecia algo simples teve toda a atenção e ali o bispo chamou os coleguinhas da turma da Clara para rezarem por este momento tão especial para ela. Dava até para sentir o frio na barriga que ela estava sentindo e sua ansiedade por ver o mar, perfeita obra de Deus, pela primeira vez.

A pequena Ivine, ao sorrir, se inclinava ara trás, voltando em seguida, para olhar de novo para o bispo. (Foto: Patrícia Silva)

A empatia com as crianças também foi vivenciada no Centro de Referencia de Assistência Social do Seminário, visitado ainda pela manhã. A gargalhada que Ivine Sofia, de apenas sete meses, que estava no colo de sua mãe, deu ao ver o bispo se aproximar era como um lindo anjo.

Em meio as responsabilidades e correrias da idade adulta, aqueles momentos transmitiram um forte momento de paz onde, implicitamente, pôde ser compreendido porque Jesus disse que o reino dos céus é para aqueles que se assemelham a elas (Mt 19, 14).

Tags: Crianças, Reino de Deus, Visita Pastoral

Deixe seu comentário

Seu endereço de email não será publicado.requerido