Lavras da Mangabeira celebra solenidade do padroeiro São Vicente Ferrer

A Igreja, em todo o mundo, celebra nesta sexta-feira, dia 5 de abril, a memória de São Vicente Ferrer, glorioso santo de origem espanhola, de modo especial, fazendo alusão aos seiscentos anos de sua passagem para a vida eterna.

Em Lavras da Mangabeira, no interior do Ceará, essa devoção está inteiramente ligada à fundação do município, nos idos de 1816.

Réplica da imagem achada às margens do Rio Salgado. Foto: Patricia Mirelly

Começou quando um vaqueiro de Xavier Ângelo, considerado fundador do município, encontrou a imagem de São Vicente às margens do Rio Salgado, que banhava as redondezas. Ele a levou para a casa do patrão, mas a imagem teria, milagrosamente, retornado ao local, um pé de Juazeiro. Isso aconteceu por três vezes.

“Foi como se fosse um anúncio de que, ali, deveria ser construído um templo”, explica Francisco Furtado Guedes, memorialista local. A capela, então, foi erguida e dedicada ao Santo. Posteriormente elevada à condição de Igreja Matriz, hoje conta com mais de duzentos anos de fé e devoção a São Vicente Ferrer.

Para fazer memória de tantos acontecimentos prodigiosos, a Comunidade Paroquial, unida no amor e na ação de graças, celebrou mais solenidade em honra ao padroeiro, cuja comemoração se fazia notar pelas bandeiras hasteadas pela cidade.

O bispo Dom Gilberto Pastana presidiu a missa solene de encerramento, às dez da manhã. Concelebraram o pároco, Padre Joaquim Cláudio, recém-chegado à paróquia, e Padre Arileudo Machado, pároco da Paróquia São Francisco, em Crato, mas com raízes familiares em Lavras.

Na homilia, o pastor diocesano lembrou as alegrias e o espírito fraterno que devem existir, sempre, nas festas de padroeiro, em unir as famílias, sobretudo as que moram distantes ou em outros estados do país.

Antes da bênção final, a Academia Lavrense de Letras prestou homenagens a São Vicente com um quadro e um livro em língua espanhola. A réplica da primeira imagem do santo adentou à Igreja Matriz, carregada por uma família, arrancando calorosos aplausos da assembleia.

“Estou imensamente feliz e a gente sente, também, a recíproca do povo em celebrar essa festa, nessa paróquia bicentenária. Esse ano, nós refletimos o tema: ‘Com São Vicente Ferrer, trabalhamos por uma igreja missionária’, assim como ele foi, em defesa da fé cristã e com o seu testemunho em lutar pela unidade da Igreja”, disse Padre Joaquim Claúdio.

Ao fim da tarde, os fiéis ainda participam de mais uma missa, presidida pelo vigário da região forânea, Padre José Fabiano. A Solene Procissão e a Bênção com o  Santíssimo Sacramento concluem os festejos, que tiveram início no último dia 26, sempre com alvorada, canto do Ofício e caminhadas.

Para saber mais sobre os sexto centenário da morte de São Vicente Ferrer, acesse aqui: http://www.abim.inf.br/sao-vicente-ferrer-600-anos-da-morte-do-anjo-do-apocalipse/#.XKeuQVVKjIV

Por: Patrícia Mirelly/Assessoria de Comunicação com colaboração da Pastoral da Comunicação/Pascom

Adicionar Comentário

Clique aqui para postar seu comentário

Redes Sociais

Assine a nossa newsletter

Junte-se à nossa lista de correspondência para receber as últimas notícias e atualizações de nossa equipe.

You have Successfully Subscribed!