In aeternum cantabo: Santuário da Misericórdia, em Barro, celebra seis anos de elevação

As primeiras badaladas do sino da matriz, na cidade do Barro (CE), ressoaram diferentes na manhã deste domingo, dia 7 de abril. Embora celebrando a liturgia quaresmal, o povo da pequena cidade do sul cearense se alegrou pelos seis anos de ereção canônica da Paróquia de Santo Antônio a Santuário Diocesano da Divina Misericórdia, entoado louvores a Jesus. A multidão que lotou o interior do santuário participou da santa missa, presidida pelo pároco e reitor, padre José Cláudio.

E no altar do Senhor foi depositado aquele longínquo 7 de abril de 2013, quando a igreja diocesana de Crato voltava seu olhar para o acontecimento que marcaria a instalação do primeiro santuário dedicado à Misericórdia no Estado do Ceará. Seis anos depois, o santuário soma um número vasto de fiéis paroquianos – e peregrinos – chamados “missionários” da misericórdia.

O evangelho deste 5º domingo da quaresma medita o encontro de Jesus com a mulher adultera. Esse episódio marcante das sagradas escrituras convida a uma reflexão sobre o perdão e a misericórdia de Deus. “As obras de misericórdias devem ser vividas por cada um de nós, e Jesus é a fonte de misericórdia. Assim como seus discípulos, devemos ser seus continuares, do amor e do perdão a todos”, comentou o padre Cláudio durante a homilia.  “Devemos através da nossa fé, acolher os ensinamentos de Jesus. Viver a fé impulsiona a levar a sério as palavras do nosso mestre: “Bem-aventurados os misericordiosos, porque alcançarão misericórdia (cf. Matheus 5, 7)”,” acrescentou.

Acolher é um ato de misericórdia

Em um dia festivo e com grandes significados, o Santuário Diocesano apresentou os novos membros da Pastoral do Acolhimento. Somando aos agentes que já participam do serviço, a pastoral conta agora com 43 integrantes. Eles são responsáveis em garantir, no dia a dia, a imagem da Igreja Acolhedora, fazendo com que os irmãos possam participar bem das celebrações e promovendo a evangelização pelo testemunho de acolher o outro.

A escolha desta data não foi mera consciência. É o que explicou o coordenador da Pastoral do Acolhimento, Joeliton Rolim. “Este dia que é para nós festa, o nosso santuário comemora seus seis anos de ereção canônica, um dos motivos pelo qual escolhemos este dia. A principal característica da nossa pastoral é a acolhida. No evangelho de hoje, Jesus nos ensina a não julgar, mas acolher o outro. Assim os novos membros, e os que já caminham nesta pastoral devem agir a partir de então”, disse.

Deixando a todos o ensinamento do amor, Jesus aponta sempre o caminho de misericórdia para com o irmão. “Enquanto agentes da pastoral, devemos acolher um ao outro, sem restrições ou preferências, mas com amor. De nada adiantar estarmos servindo sem amar. Eu acredito que devemos, assim como Jesus, agir com misericórdia e acolher com amor. É este o ensinamento que ele nos dá”, comentou Myrela Ferreira, nova membro da pastoral.

Amigo do Santuário

Em comunhão espiritual com este dia de comemorações, o bispo emérito da Diocese de Crato, Dom Fernando Panico, enviou sua mensagem de gratidão e afeto aos paroquianos. O bispo, ainda como titular, elevou os altares da Paróquia a Santuário, em 2013, e vivenciou, junto à comunidade paroquial, as graças derramadas na terra da Misericórdia.

Ouça o áudio completo:

Acesse a galeria de fotos: http://diocesedecrato.org/aniversario-de-elevacao-do-santuario-da-misericordia-barro-2019/

Texto e fotos: Mychelle Santos/colaboradora

Adicionar Comentário

Clique aqui para postar seu comentário

Redes Sociais

Assine a nossa newsletter

Junte-se à nossa lista de correspondência para receber as últimas notícias e atualizações de nossa equipe.

You have Successfully Subscribed!