Há dois anos, Dom Gilberto assumia o pastoreio da Diocese de Crato

“Hoje o Papa Francisco confirmou e efetua a sucessão à cátedra episcopal desta amada diocese”, anunciou Dom Fernando Panico ao povo católico, pelas ondas da Rádio Educadora do Cariri. Era 28 de dezembro de 2016, dia histórico para a Diocese de Crato.

(Dom Gilberto em seu primeiro discurso como bispo diocesano. Foto: Patrícia Silva)

Às oito da manhã, meio-dia no horário de Roma, na Itália, o então bispo diocesano comunicou a oficialização de sua renúncia, após quinze anos e seis meses de pastoreio. Em seu lugar, assumiu Dom Gilberto Pastana de Oliveira, que ocupava a função de bispo coadjutor.

Em um discurso que chamou de “gratidão e esperança”, Dom Gilberto, agora sexto bispo diocesano, comprometeu-se em prosseguir à obra de Dom Fernando, de fazer caminhar e crescer, ainda mais, a diocese romeira e missionária, com a ajuda evangelizadora de todos os padres, diáconos permanentes, religiosas, leigas e leigos, todas as pastorais, movimentos e equipes de serviço: “Para vocês eu sou bispo e com vocês eu sou cristão”. E assim proclamou como incumbência do ardente desejo de servir.

Já familiarizado com a Diocese, não tardou em manifestar os seus projetos em prol da evangelização e formação do povo, dando atenção especial à constituição – e ao reforço – dos conselhos paroquiais e comunitários.

(Passagem do Báculo. Foto: Patrícia Silva)

Além disso, imprimiu em seu episcopado a simplicidade, a alegria e a proximidade às pessoas, começando pela maneira de se comunicar: escreve mensagens nas redes sociais saudando os seus seguidores que estão aniversariando, chama pelo telefone àqueles que têm algum trabalho pastoral e faz visitas surpresas.

Relembre aqui: http://diocesedecrato.org/eu-nao-acreditei-que-ele-fosse-telefonar-pra-gente-disse-emocionada-uma-das-agentes-da-pastoral-do-dizimo-que-recebeu-ligacao-de-dom-gilberto/

Suas falas, simples e diretas, mas cheias de significado, recordam que, em primeiro lugar, é preciso recuperar a ética, os valores e o sentido de viver – e ser – comunidade: http://diocesedecrato.org/dom-pastana-envia-mensagem-aos-participantes-da-caminhada-pela-vida/ 

Em seguida, vem o engajamento pastoral e a pertença à Igreja: http://diocesedecrato.org/diocese-de-crato-discute-como-ajudar-pessoas-em-situacao-de-migracao-e-refugio/

Também costuma motivar os fiéis, para que respondam, em viva voz, aos diálogos da Missa. E ainda ensina: na Oração do Pai-Nosso o correto é dizer “Perdoai-nos”, não perdoai. Deus perdoa o pecador que comete as ofensas. Seus ensinamentos continuam sempre amparados na frase de Santo Agostinho: “Para vocês eu sou bispo e com vocês eu sou cristão”.

Por tudo isso, a Diocese de Crato, invocando a proteção materna de sua padroeira, Nossa Senhora da Penha, louva e agradece a Deus por ter doado Dom Gilberto Pastana a essa Igreja Particular.

<< No meio do povo, onde ele gosta de ser e estar. Fotos: Patrícia Silva >>
Por: Patrícia Mirelly/Assessoria de Comunicação 

Adicionar Comentário

Clique aqui para postar seu comentário

Redes Sociais

Assine a nossa newsletter

Junte-se à nossa lista de correspondência para receber as últimas notícias e atualizações de nossa equipe.

You have Successfully Subscribed!