Crismados, jovens de Nova Olinda são chamados à anunciarem o evangelho

A matriz de São Sebastião, em Nova Olinda, ficou pequena para acolher os 135 crismandos, com seus padrinhos e familiares, durante a noite dessa sexta- feira, dia 11 de maio. Por isso a celebração eucarística com o rito da crisma, presidida por dom Gilberto Pasatana e concelebrada pelo pároco, padre Francisco César Pereira Retrão, aconteceu na parte externa, ao lado da Igreja.

Atentos, os jovens participaram de cada parte do rito que marca uma mudança na vida de cada um. As palavras de dom Pastana, instantes antes da unção, também foram de grande importância para culminar a formação iniciada na catequese e impulsioná-los ao compromisso de quererem estar sempre em sintonia com a vontade de Deus.

“O cristão é aquele que está sempre com Jesus, que segue Jesus como caminho, verdade e vida. Esse estar contigo, que Jesus promete a Paulo, é o Seu Espirito. É o Senhor que envia o seu Espirito para que o cristão seja conduzido por ele e não pelo espirito do mundo, o evangelho diz isso hoje. A alegria do mundo não é alegria de Deus. A alegria do mundo é falsa. A mola do mundo é o dinheiro, a do reino é o amor. Quantas pessoas não se rendem para o dinheiro, não adoram o dinheiro. Vocês estão recebendo o Espirito de Deus e quem acolhe o Espirito de Deus não faz o mal. Vocês recebem o Espírito de Deus para não pensar sozinho, mas sempre em comunidade. Recebam hoje o Espírito de Deus e vivam com intensidade em suas comunidades”, disse o bispo.

A celebração reuniu também membros das comunidades que foram acolher os novos soldados de Cristo.

Mudança de vida

Os crismados eram das turmas que se prepararam na Matriz e também das comunidades rurais. A preparação foi de um ano e quatro meses. Os encontros quinzenais introduziam os crismandos na vida da Igreja e nas celebrações eucarísticas. “A família também é muito importante nesse processo. Alguns chegam muito alheios, mas no final vemos que eles vão crescendo espiritualmente. Isso é gratificante”, considerou a catequista Maricélia Souza.

Uma prova deste despertar para contribuição no anuncio da palavra, construída ao longo da preparação, é o testemunho do adolescente Tales Rodrigues, de 14 anos, que declarou que tinha o costume de ir a Igreja somente uma vez por ano, na festa do padroeiro São Sebastião, mas a partir da crisma passou a ter consciência do seu papel enquanto cristão e não perde mais uma missa dominical, se engajando também na Comunidade Filhos Amados do Céu, para intensificar seu serviço na Igreja.  “Minha vida agora tem sentido e devo isso a crisma”, afirmou.

Dom Pastana e o padre César com os catequistas. (Foto: Patrícia Silva)

Por: Jornalista Patrícia Silva (MTE 3815/CE)

Adicionar Comentário

Clique aqui para postar seu comentário

Redes Sociais

Assine a nossa newsletter

Junte-se à nossa lista de correspondência para receber as últimas notícias e atualizações de nossa equipe.

You have Successfully Subscribed!