Aliança de Misericórdia: jovens de diferentes regiões do país participam da Escola de Evangelização

O ano era 2012, e a mineira Nathalia Lemes, a convite de um amigo, vivenciava o encontro “Thalita Kum”, da Comunidade Aliança de Misericórdia, cuja tradução é um imperativo: “Menina, levanta-te”. E ela obedeceu. Aprofundou-se no carisma, sentindo que Deus a chamava para algo mais profundo. Foi quando embarcou para o Cariri, onde a Aliança de Misericórdia tem projetos e casas de evangelização, especificamente na cidade de Barbalha.

“Eu senti que Deus me chamava para algo mais aqui, no Ceará. Desde que eu conheci a comunidade, eu mudei o meu jeito de pensar e de agir. E eu sinto que Deus me chama a cuidar das pessoas aqui”, garante.

Parecido ocorrera com o paulista Francisco Alves, de 24 anos. Acolhido em um dos projetos da comunidade, foi convidado a desbravar as terras do Cariri. O que mais tem aprendido – ele conta – é valorizar “o lado bom dentro de mim”.

Dom Pastana acolhido pelos jovens da Escola de Evangelização. Foto: Patrícia Mirelly

Essa diversidade de experiências e de sotaques misturam-se e dão forma à Escola de Evangelização, nascida há dez anos, cujo objetivo é acolher jovens, maiores de 18 anos e engajados na Igreja, dispostos “a doar um ano da sua vida para Deus”, na explicação do Padre João Fernando, coordenador da Escola no Cariri, que atualmente conta com 16 jovens vindos dos estados do Amazonas, Ceará, Minas Gerais, Pernambuco e São Paulo.

A Escola tem duração de um ano, período em que os jovens fazem discernimento vocacional, para compreender quais passos devem dar no caminho do Senhor. Para ajudá-los nesse itinerário, existe o tripé “vida comunitária, formação (humana e espiritual) e evangelização”. “Eles [os jovens] vão com a gente para as ruas, para as favelas, para as cadeias, para colocar em prática tudo o que foram absorvendo ao longo da semana”, diz Padre João Fernando.

Chamado que resignifica a vida

Ao entardecer desta sexta-feira (15), os jovens da Escola de Evangelização acolheram o bispo diocesano, Dom Gilberto Pastana para celebração da Santa Missa. Na homilia, lembrou que Jesus e as propostas do Evangelho modificam a vida, o pensamento e as atitudes. Por isso é que os jovens devem vivenciar esse período com sinceridade, autenticidade e, principalmente, com profunda confiança em Deus e nas inspirações do Espírito Santo.

“Que seja um ano de aprendizado da vida, de discipulado do Senhor, cultivando seus valores. As propostas do Evangelho são exigentes. Elas nos convidam a ser outro Cristo na vida das pessoas, sobretudo das mais pobres. E fazer isso sem esperar recompensas”, exortou.

<< Dom Gilberto presidiu a Eucaristia. Concelebraram os padres João Fernando e Evandro Torlai, da Aliança de Misericórdia. Fotos: Patrícia Mirelly >>

Após a conclusão da Escola de Evangelização, os jovens voltam para suas cidades e dioceses de origem. Junto com muitas vivências, levam consigo também o pedido do bispo.

Para saber mais, acesse:https://misericordia.com.br/evangelizacao/escola-de-evangelizacao/

 

Adicionar Comentário

Clique aqui para postar seu comentário

Redes Sociais

Assine a nossa newsletter

Junte-se à nossa lista de correspondência para receber as últimas notícias e atualizações de nossa equipe.

You have Successfully Subscribed!