Alegria do Evangelho na Igreja em saída: Seminaristas concluem Missão de Férias em Abaiara

Seminaristas em missão: Foto: Patrícia Mirelly

A Paróquia de Abaiara, a 64 km de Crato, acolheu, desde a primeira quinta-feira do ano (3 de janeiro), a Missão de Férias dos 38 seminaristas em formação no Seminário Propedêutico e São José, em Crato; e Imaculada Rainha do Sertão, em Quixadá. Foram dez dias visitando as famílias e celebrando, com elas, a Palavra de Deus, na sede e nas comunidades. Essa missão é realizada anualmente, em paróquias distintas, e tem a intenção de fazer os candidatos ao sacerdócio experimentarem, mais de perto, a realidade do povo.

Na manhã deste domingo (10), a Santa Missa na Igreja Matriz do Imaculado Coração de Maria concluiu esse tempo de vivências e aprendizados, que foram depositados no Altar do Senhor como oferenda em ação de graças. E os próprios seminaristas ajudaram a preparar a Liturgia, neste dia em que a Igreja celebra a festa do Batismo do Senhor. O dourado do Altar-mor, que abriga a imagem do padroeiro, em contraste ao verde, vermelho e amarelo, presentes na bandeira missionária, além da imagem de Santa Teresinha, padroeira das missões, deram tom ao espaço litúrgico. A Eucaristia foi presidida pelo bispo diocesano, Dom Gilberto Pastana, concelebrada pelo pároco, Padre Elias Ribeiro Neto, e o reitor do Seminário Propedêutico de Crato, Padre Cícero Luciano Lima.

A dimensão comunitária da vida, que eleva o cristão a Deus, esteve no centro da homilia do bispo. Para ele, a vida divina começa ainda na terra, a partir do momento em que se começa a experimentar, no dia a dia, os mesmos valores de Cristo. Daí a importância de “formar pastores, segundo o coração, o compromisso e a simplicidade de Jesus”.

E lembrando a passagem de São Lucas, na qual os apóstolos retornam “contentes da missão”, Dom Gilberto comentou sobre sua satisfação em ver a alegria no semblante dos seminaristas, sinal de que a missão foi, de fato, bem vivida. “O ser religioso é uma consagração a Deus, para servi-lo no meio do povo”, de tal modo a chegar no nível que Paulo chegou: ‘Já não sou eu quem vivo, mas Cristo que vive em mim’”.

Padres segundo o coração de Deus

“Uma profícua realização da vocação”. Foi assim que o seminarista Cícero da Silva Alves classificou os dias de missão na Paróquia de Abaiara. Para ele, o fervor do povo, o temor a Deus e o zelo com as coisas sagradas foram o que mais impressionou: “Jamais esquecerei essa pastoral, porque ela foi muito importante, para que nós seminaristas pudéssemos reavivar a nossa vocação e o nosso chamado”.

O seminarista Jefferson Rodrigues, há dois anos no seminário, partilha da mesma gratidão. E conta, inclusive, que até mesmo as famílias evangélicas abriram as portas de suas casas para acolhê-los. “Elas também tiveram o desejo de que nós passássemos por suas casas, rezássemos e pedíssemos a bênção de Deus. E isso foi algo que nos impressionou muito”. “Foram dias bastante enriquecedores para a formação sacerdotal, e confirma, cada vez mais, a vocação, sobretudo pela alegria que fica em nosso coração pela missão realizada e o trabalho bem feito”, considerou outro seminarista, Rodrigo Rêmulo Leite.

Comunidade em festa

Não só os seminaristas demonstravam gratidão e alegria pelos dias vividos na paróquia. A comunidade, reunida na Santa Missa, também elevou a Deus ação de graças. A aposentada Marcia Oliveira, por exemplo, acolheu sete seminaristas em sua casa. E sentiu-se tão próxima deles, que passou a chama-los de “meus meninos, meus filhos”. As irmãs Francisca Edivalda e Edileide Alves acompanharam um grupo nas vistas, servindo como “ponte” entre as famílias: “Cedo nós já saia em caminhada. Pra nós foi só bênçãos e graças, é coisa que a gente não vai mais esquecer”.

O pároco, Padre Elias Ribeiro Neto, também considerou que foram dias significativos para a caminhada de fé da paróquia, sentidos no fervor da comunidade e manifestados no acolhimento aos seminaristas. “Foi a presença da Igreja, realmente, em missão e em saída. Isso nos ajuda na vivência da fé e no comprometimento com a causa do Reino de Deus. Eu me sinto, hoje, muito grato a Deus”, disse.

<< Famílias da zona rural – à esquerda – e da sede que acolheram os seminaristas >>

A Missão de Férias dos seminaristas acontece anualmente. A última ocorreu na Paróquia São Francisco, em Crato. Concluído esse período, eles fazem um relatório, a partir das observações feitas durante as visitas, e o encaminha ao pároco. A intenção é ajuda-lo na edificação da paróquia, naquilo que ainda precisa ser fortificado, em termos de evangelização e pastoral.

Por: Patrícia Mirelly/Assessoria de Comunicação

Adicionar Comentário

Clique aqui para postar seu comentário

Redes Sociais

Assine a nossa newsletter

Junte-se à nossa lista de correspondência para receber as últimas notícias e atualizações de nossa equipe.

You have Successfully Subscribed!