A tua visita aquece e ilumina: Romaria da Mãe Rainha atrai milhares de peregrinos a Mauriti

A devoção a Mãe Rainha três vezes Admirável de Schoenstatt nasceu há mais de cem anos, na Alemanha, e se espalhou mundo a fora, chegando até Mauriti, no cariri cearense. E é especificamente na zona rural de Gravatazinho, distrito de São Miguel, a 18km da sede, que essa fervorosa devoção é redescoberta a cada ano, com grande entusiasmo em julho, quando acontece a tradicional Romaria, iniciada dezoito anos atrás com uma caminha da Igreja Matriz da Imaculada Conceição, padroeira de Mauriti, até a comunidade de Gravatazinho, onde foi erguida uma capela em homenagem a Mãe Admirável.
“Quando a gente precisou comprar a Imagem da Padroeira, eu pedi pra imagem vir do Santuário de Santa Maria [no Rio Grande do Sul]. Eu tive a ideia de trazê-la da Matriz até a comunidade a pé. A gente saiu como uma trinta, quarenta pessoas. Quando a gente chegou aqui [na capela] tinha mais de quinhentas pessoas. Então a gente começou a contar como a primeira romaria, que continuou a cada dia dezoito [dia de renovação da Aliança de Amor, um dos pontos mais fortes da espiritualidade do Movimento de Schoenstatt]”, contou o diácono Francisco Alves de Souza, ou apenas “Chiquinho da Mãe Rainha” como ficou conhecido” na região.
Depois disso, a Capela tornou-se Santuário Paroquial. E esse laço especial – estreito e forte – é sentido nos olhos, nos gestos e no longo percurso feito pelos peregrinos, hoje vindos das mais variadas regiões do Cariri e até de outros estados, como Paraíba, Pernambuco e Rio Grande do Norte.
Na tarde desta quarta-feira, dia 18 de julho, o Bispo Diocesano de Crato, Dom Gilberto Pastana, presidiu a Santa Missa no encerramento da romaria. Entusiasmado com a quantidade de devotos e peregrinos, lembrou que “cada romaria é uma experiência amorosa diferente”. E desejou que ela seja ocasião para “fortalecer a nossa humildade diante de Deus, para conhecê-lo mais, amá-lo mais e estar disposto a fazer a sua vontade na nossa vida e nas nossas comunidades”. Depois, relacionando-a ao Evangelho do dia, acrescentou: “Como Jesus, nós também devemos entrar em sintonia com o Pai e com o Espírito Santo. E quantos de nós não saímos de casa para aqui, também, rezar, louvar ao Senhor, nos enchendo da Sua graça, para termos força de enfrentar o mundo”.

Tradição

Esta foi a 18ª edição da Romaria da Mãe Rainha. O tema aludia ao Padre José Kentenich, fundador do Movimento da Mãe Rainha: “No ano do Fundador, celebramos Maria, filha predileta do Pai”. A programação foi extensa, tendo início no último dia oito. Dez dias depois, no encerramento da festa, o sol ainda nem tinha nascido quando fiéis, dos mais variados recantos do município, partiram em caminhada até Gravatazinho, onde renderam mais homenagens a Mãe Admirável, com preces de gratidão e louvor.

Fotos: Pastoral da Comunicação de Mauriti

 

Por: Patrícia Mirelly/Assessoria de Comunicação

Adicionar Comentário

Clique aqui para postar seu comentário

Redes Sociais

Assine a nossa newsletter

Junte-se à nossa lista de correspondência para receber as últimas notícias e atualizações de nossa equipe.

You have Successfully Subscribed!