A ‘luminura’ da Mãe de Deus das Candeias

É por causa da ‘luminura’ da Mãe de Deus, reverenciada sob o título de Nossa Senhora das Candeias, que milhares de fiéis, das mais variadas regiões do país, acorrem a Juazeiro do Norte, em fins de janeiro e começo de fevereiro, para render graças pela grande valia nas horas incertas.

A alagoana de 68 anos, Luzia Bezerra, que há mais de vinte anos vem a Juazeiro, recordou as preces atendidas pela Mãe das Candeias. “São muitas e muitas graças. Um dia uma casa incendiou e ‘meu menino’ estava lá dentro. Quando eu soube comecei a rezar pedindo a Nossa Senhora e a meu padrinho [padre Cicero] pra salvar ele e o fogo baixou na mesma hora. Ai a gente tem só que agradecer né?”, contou

A devoção à Mãe das Candeias é antiga. Padre Cícero José da Silva, pároco-reitor da Basílica Santuário Nossa Senhora das Dores, conta que seu predecessor, Padre Cícero Romão, foi procurado por um artesão que tinha como principal ofício fazer candeeiros. O homem dizia estar desocupado e, por isso, pensava em ir embora do Cariri. Padre Cícero, então, teria dito que continuasse produzindo candeeiros, porque ele teria muitos clientes. Ao mesmo tempo, incentivou a devoção à Nossa Senhora das Candeias, da Luz ou da Candelária, como é invocada em outras regiões do país.

O nome “candeias” faz referência à chama da vela que, simbolicamente, apresenta Jesus Cristo ao mundo. Na liturgia da Igreja é celebrada no mesmo dia da Festa da Apresentação do Senhor no Templo.

“Nossa Senhora das Candeias nos traz a luz que é Jesus. Nós recebemos essa luz como portadores do Senhor e temos que levar, aonde estivermos, a palavra de Deus. Assim como Jesus foi luz de todas as nações, nós como discípulos seus, todos que participaram dessa celebração quer, no dia-a-dia, ser a luz do Senhor. O padre Cicero iniciou essa devoção, essa prática litúrgica que recorda que Jesus é a luz do mundo”, explicou o bispo diocesano, Dom Gilberto Pastana.

Procissão luminosa

Ao fim da tarde deste sábado (2), após a Santa Missa, com velas ou candeeiros em mãos, os romeiros seguiram a imagem peregrina, que saiu do Largo da Capela do Socorro em direção à Basílica Santuário, fazendo das ruas um imenso “mar de luz”. O ponto alto do percurso foi a Bênção do Santíssimo Sacramento que concluiu mais um ciclo de romaria, sob o lema: “Sal da terra e Luz do mundo” (Cf Mt 13-14).

Além da festa religiosa, iniciada no último dia 29, com novena preparatória e celebrações eucarísticas, a programação também contou com shows e quermesses.

A Festa de Nossa Senhora das Candeias e a procissão das velas se repete em outras paróquias da Diocese de Crato, seguindo a mesma devoção: apresentar ao mundo a luz que é o próprio Cristo.

 

Por Patrícia Mirelly/Assessoria de Comunicação

Fotos: Mychelle Santos e Rozelia Costa

Adicionar Comentário

Clique aqui para postar seu comentário

Redes Sociais

Assine a nossa newsletter

Junte-se à nossa lista de correspondência para receber as últimas notícias e atualizações de nossa equipe.

You have Successfully Subscribed!